quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Do ostracismo

Do ostracismo mostro a língua pro mundo,
O que vale dizer comer-vos-ei.

O ostracismo é um morro bem alto,
De onde vejo com olhos incrédulos
Pessoas-formigas se batendo lá embaixo.

A ostra cisma com o que não é fechado
Enquanto cismo com o exílio voluntário de mim mesmo.

O ostracismo é um bom lugar
Pra se olhar o firmamento.

Um comentário:

- Marechal Carleto - disse...

Mostrar-lhe-ei as colinas delgadas de


Leme...