segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Mucugê 25 Graus

Apesar do clima ameno da Serra do Sincorá, que salta da terra como uma cicatriz salta da pele, o fogo estende suas labaredas de mais de 3 metros de altura sobre ela. A 1.200 metros acima do nível do mar o céu fica mais próximo (e mais azul) e o fogo pode estar logo ali. Suas línguas amarelas tremulam mais intensamente que as cores do pôr do sol. A fumaça corre célere pelo céu, ocupando o lugar das nuvens. A sensação de inação é inevitável. Estranha também, na medida em que causa um frêmito no corpo, vindo, de um lado, de uma espécie de fascinação atávica pelo fogo e, de outro, de uma vontade muda de fazer alguma coisa, de formar com os brigadistas uma barreira de carne humana ávida de chamas. Engolir o fogo com a boca.

Um comentário:

paty musásci disse...

engolir para cuspir o mesmo fogo
pelos poros mais abertos
pelas narinas aguçadas
mais ávidas também por qualquer cheiro
mais presente...

voce me transportou pra mucugê por alguns minutos...
ou teriam sido horas?

que importa isso também?
o tempo é indélevel...mas consumível pelo fogo

fiquemos com nossos ventos que continuam ventando através do tempo e ainda alastram todo o fogo que lhe vier de encontro...

bisous